Por que é importante fazer todos os exames de triagem neonatal; entenda



domingo, 9 de setembro de 2018 - 08:26

Share Button

O nascimento de um bebê é um momento muito esperado pelos pais, que desejam ver pela primeira vez o filho e, antes de qualquer coisa, saber se ele nasceu saudável. As crianças que nascem do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, passam por uma série de exames antes de deixar a maternidade.

Para avaliar com detalhes a saúde do bebê são realizados exames de triagem neonatal, como os testes do pezinho, do olhinho, da orelhinha, do coraçãozinho e da linguinha. Esses testes ajudam os médicos a identificar eventuais doenças sem sintomas, capazes de causar danos à criança, se não forem tratadas a tempo.

No Hospital Alberto Urquiza Wanderley são realizados todos os exames de triagem neonatal. Mas se a criança receber alta antes das 48 horas de vida, prazo mínimo para realizar o teste do pezinho, os pais saem com a guia autorizada para fazer o exame no lugar que desejarem.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

A pediatra Alexandrina Lopes, gestora clínica dos Serviços Hospitalares da Unimed JP, explicou que os testes são importantes para que, caso seja detectado algum distúrbio ou anormalidade, o tratamento seja iniciado o mais rápido possível.

“Com o diagnóstico precoce, há a possibilidade de prevenir sequelas e outras manifestações, aumentando a viabilidade de um desenvolvimento saudável da criança”, afirmou a pediatra.

SOBRE OS TESTES

Conheça a importância de cada uma deles:

• Teste do Pezinho (Teste de Triagem Neonatal) 

Deve ser realizado, preferencialmente, 48 horas após o nascimento do bebê e ainda na primeira semana de vida. Para fazer o teste, é necessário que o aleitamento materno já tenha sido iniciado;
– É feito com a coleta de sangue a partir de um furinho no calcanhar do bebê;
– Identifica transtornos que incluem: hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, hemoglobinopatias e fibrose cística.

• Teste do Olhinho (Teste do Reflexo Vermelho) 
 Peça ao pediatra que o teste do olhinho seja feito antes da alta da maternidade ou na consulta do 5º dia;
 É feito na penumbra, com o posicionamento do oftalmoscópio (instrumento para observação do interior do olho) a um metro dos olhos do recém-nascido;
 É o primeiro exame dos olhos da criança, é rápido e não dói;
 Possibilita a detecção precoce de doenças que comprometem a visão, como glaucoma congênito, catarata congênita, infecções e tumores.

• Teste da Orelhinha (Teste de Emissões Otoacústicas) 
– Se não for feito antes da alta da maternidade, solicite que seja realizado ainda nos primeiros 30 dias de vida do bebê;
 Permite a detecção precoce de deficiências auditivas, que podem levar à deficiência na linguagem e no aprendizado;
 É feito com um equipamento que emite ondas sonoras no ouvido do recém-nascido e analisa a resposta a esse estímulo. O exame demora entre cinco e 10 minutos;
 Não havendo resposta ao estímulo do exame, este deverá ser repetido em um mês.

• Teste da Linguinha
 É um exame padronizado que possibilita diagnosticar e indicar o tratamento precoce das limitações dos movimentos causadas pela língua presa que podem comprometer as funções exercidas pela língua: sugar, engolir, mastigar e falar;
 O teste é bastante simples e pode ser feito ainda na maternidade.

• Teste do Coraçãozinho
 É colocada uma pulseira que mede a concentração de oxigênio do bebê no sangue e que detecta problemas no coração antes mesmo de aparecerem sintomas;
 Leva menos de 5 minutos. Geralmente, um a cada 130 bebês pode apresentar alterações cardíacas congênitas, como buracos entre as câmaras do coração e defeitos na válvula cardíaca;
– A descoberta precoce de problemas cardíacos congênitos é muito importante para a realização de cirurgias rápidas e precisas.

Fonte: unimeJP

Share Button

Mais Notícias

(c) 2013 Agenda Paraíba - Todos os direitos reservados.