Ração animal distribuída pelo Governo é produzida nas Várzeas de Sousa

Share Button


segunda-feira, 6 de agosto de 2012 - 17:52


Segunda-feira, 06 de agosto de 2012 – 09h23

Para garantir a distribuição das 19 mil toneladas do sorgo a 20 mil pequenos e médios produtores rurais no semiárido paraibano durante o período de estiagem, o Governo do Estado montou uma logística que envolve as Secretarias da   Infraestrutura e da Agropecuária e da Pesca.
O produto é adquirido a uma empresa que planta, colhe e tritura a ração no Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa. Nos próximos meses, 900 carretas transportarão o sorgo para dez pontos regionais de entrega aos criadores nas cidades de Picuí, Monteiro, Santa Luzia, Patos, Serra Branca, Cajazeiras, Sousa, Catolé do Rocha, Princesa Isabel e Itaporanga. A entrega começou na terça-feira (31).

O programa de distribuição de ração animal é uma das ações do Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem presidido pelo secretário da Infraestrutura Efraim Morais. O ‘volumoso de sorgo’, como é chamado pelos criadores o produto trituraro, está sendo distribuído para alimentar rebanhos de até 30 animais por criador. O critério exigido pelo governo é que os animais estejam vacinados contra febre aftosa.
O secretário Efraim Morais (Infraestrutura) destacou a importância da distribuição gratuita da ração para salvar os rebanhos na Paraíba e detalhou os sistema de entrega: “São 19 milhões de quilos de sorgo. Nós temos uma logística de tentar distribuir de duas a três carretas por semana em cada um dos dez postos de entrega”. Ele acrescentou que os recursos para o custeio do programa estão garantidos.

Neste final de semana haverá uma reunião visando aperfeiçoar a logística para melhor atender aos 20 mil criadores beneficiados. Os 13% dos criadores que não vacinaram seu rebanho precisam vacinar os animais para ter acesso ao sorgo que está sendo ofertado pelo Governo do Estado.
O programa de distribuição de sorgo é inédito no Nordeste o que tem levado secretários de outros Estados procurarem informações sobre o seu funcionamento.
O fato do sorgo ser comprado na Paraíba contribui com a logística do programa, e a empresa contratada garante que não faltará a ração. “Nós não vamos distribuir ração para engordar boi, nós vamos distribuir o sorgo para que nós possamos dar sobrevida ao nosso rebanho que é importante para a economia do nosso Estado”, explicou o secretário. Ele lembrou que o governador Ricardo Coutinho, ao lançar o programa em Monteiro e Sousa, determinou ao secretariado que esta é uma prioridade do Governo.

Famup – O presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) e prefeito de Picuí, Rubens Germano, avalia que é muito válida a iniciativa do governo em preservar o rebanho dos pequenos e médios criadores. A Famup integra o Comitê Estadual de Enfrentamento à Estiagem e seu presidente está conclamando os prefeitos do semiárido a apoiarem o programa de distribuição gratuita do sorgo. “A logística de distribuição da ração depende do apoio das prefeituras porque o agricultor precisa dessa ajuda”, destacou.
No Perímetro Irrigado das Várzeas de Sousa, estão sendo utilizados 800 hectares para o plantio do sorgo que é colhido e triturado a cada três meses. Um novo sistema de armazenamento por silagem está sendo utilizado pela empresa contratada pelo governo para um estoque de reserva do produto. Cada silo bag tem capacidade de armazenar até 110 toneladas de ração. Os silos bolsas têm 60 metros de comprimento, cerca de dois metros de largura e um metro e meio de altura.
O sorgo pode ficar armazenado por pouco mais de um ano nos silos sem perder sua validade como ração para os rebanhos. Estão sendo instalados 12 silos. A semente do sorgo é adquirida pela empresa aos institutos de pesquisas e registradas no Ministério da Agricultura. O sorgo é vendido tanto a governos quanto a produtores rurais. A variedade de sorgo IPA 467, utilizado no programa do governo, atinge mais de três metros de altura.
No perímetro irrigado das Várzeas de Sousa a água para irrigar as plantações de sorgo e de outros produtos da empresa é captada no açude Coremas-Mãe D’água por meio do Canal da Redenção.

Share Button

Mais Notícias

(c) 2013 Agenda Paraíba - Todos os direitos reservados.